sábado, 30 de agosto de 2014

PROFESSORES NA DÚVIDA

Jornada de trabalho e hora atividade são temas da vez
A simulação feita pelo educador Marcelo Carvalho e divulgada na internet

S
e nossa carga horária semanal é de 40 horas/aulas e sou lotado com três turmas de 80 horas/aulas e mais 16 horas/aulas de projeto, quantas aulas devo

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

BOCA DE CIMA DO ARITAPERA


 
 Onze anos de Modular


O
 Ensino Médio Modular (EMM), ofertado através do Sistema de Organização Modular de Ensino (SOME), Polo de Santarém, foi implantado na comunidade de Boca de Cima do Aritapera, na região da várzea, em 2003.
Para resgatar um pouco desses 11 anos de história do SOME na comunidade, apresentamos a seguir fotos com reportagens que foram publicadas no Modular Notícias, informativo dos professores(as) do SOME, Polo de Santarém, no ano de 2010.
A primeira delas fala sobre uma cerimônia de crisma realizada na comunidade de Santa Terezinha, envolvendo a comunidade escolar do EMM, com a participação do bispo de Santarém Dom Esmeraldo.



A outra fotografia destaca uma página publicada no Modular Notícias, onde o foco é a formatura da segunda turma do SOME, na comunidade de Boca de Cima do Aritapera. Veja as fotos abaixo.

 
 

Neste ano letivo de 2014, um total de 34 estudantes foi matriculado para cursar o Ensino Médio Modular (EMM). Dez alunos na 1a série. Onze na 2a série e 13 discentes na 3a série. Durante a reposição de aulas, no período de 4 de agosto à 6 de setembro,  contabilizamos um total de 25 alunos cursando a disciplina Inglês. 
Destes, nove cursam a 1a série. Nesta turma foi anotada a transferência do estudante Erivan da Silva Santos, que veio da escola Municipal de Ensino Fundamental Santa Cruz, de Piracãoera de Cima. O aluno já cursou a disciplina Inglês, durante o processamento do 1o módulo do ano letivo 2014, em Piracãoera de Cima, por conta disso, Erivan não participou das aulas de Inglês, durante a reposição.
Na 2a série, dos 11 alunos matriculados, apenas cinco cursaram a disciplina. No Diário de Classe da série foram inseridos os nomes dos estudantes Elen Meriane Lima da Silva, Leonardo Victor Lopes Costa e Sivoney Pereira Rêgo. Eles cursaram a disciplina em regime de dependência. Na 3a série do EMM, que totalizou 13 alunos matriculados, apenas 11 estudaram durante a reposição de aulas. 



sábado, 23 de agosto de 2014

LEVANTAMENTO CENSITÁRIO



"Cartilha da Boca" será lançada em setembro
A capa da "Cartilha da Boca"
J
á está em fase final de formatação e edição a "Cartilha da Boca", levantamento censitário sobre a comunidade escolar do Ensino Médio Modular (EMM), atendida  pelo Sistema de Organização Modular de Ensino (SOME),  na Escola Municipal de Educação Infantil e Ensino Fundamental Odorico Liberal, da comunidade de Boca de Cima do Aritapera, na várzea santarena.
O livreto é resultado das 16 horas/aulas da carga do horária de projeto, constante na lotação do docente destacado pela equipe pedagógica do SOME, para ministrar as aulas de reposição, no período de 4 de agosto a 6 de setembro, para os 25 estudantes estudantes do EMM.
O lançamento da cartilha está marcado para o dia 4 de setembro durante o "Cafe da Manhã com os Pais", evento programado pela comunidade escolar, para marcar o encerramento da reposição de aulas.

BOCA DE CIMA DO ARITAPERA



Estudantes interagem via WhatsApp

S
ob a administração da estudante Caroline Almeida Lopes, da 3a série do Ensino Médio Modular (EMM), atendida pelo Sistema de Organização Modular de Ensino (SOME) na Escola Municipal de Ensino Fundamental Odorico Liberal, na comunidade de Boca de Cima do Aritapera, foi criada às 18h24 do dia 15 de agosto, grupo na página eletrônica WhatsApp, para interação entres os estudantes da turma e professores.
Caroline Almeida Lopes, administradora



  O grupo intitulado  "Ensino Médio Aritapera" contém postagens relacionadas as atividades didáticas e informações sobre a comunidade escolar.  Ele está envolvendo os estudantes, que aproveitam para trocar as informações teóricas sobre a disciplina Inglês, que está sendo ministrada durante a reposição. O professor aproveita para socializar diversos tipos de mídias como áudios e imagens com os conteúdos.

  
A capa com as informações do grupo

ÁLVARO ADOLFO DA SILVEIRA



Some quer participar da eleição

E
studantes, pais e professores assistidos pelo Sistema de Organização Modular de Ensino (SOME), do Polo de Santarém já estão se mobilizando visando sua participação na  eleição direta, para gestor da Escola Estadual de Ensino Médio Álvaro Adolfo da Silveira, que acontece neste ano letivo de 2014.
A gestão democrática foi implantada na rede estadual de ensino em Santarém, em 2009, quando a comunidade escolar pertencente ao SOME, exerceu o direito de voto e escolheu a professora Joana Cunha Bernardo, como gestora do educandário. Em 2012, não foi dado à comunidade escolar do SOME a oportunidade de participar da eleição.
Agora, nas eleições de 2014, a comunidade escolar se vê novamente diante da privação de seu direito de voto. Como atesta a ata da reunião do Conselho Escolar, realizada no dia 12 de junho de 2014, que em seu texto diz: : “...no caso do modular precisa de uma logística para atender as comunidades (regular e indígena) na votação, sendo que a escola não tem estrutura em recursos humanos e financeiros para atender a esse necessidade.”  
Por conta disso, a coordenação pedagógica do SOME solicitou informações ao Conselho Escolar e busca alternativas para que o direito da comunidade escolar seja respeitado, inclusive com a possibilidade de solicitar ajuda ao Ministério Público Estadual (MPE), para solucionar a questão.


A ata do Conselho Escolar do "Álvaro Adolfo da Silveira"
 A comunidade escolar quer que as orientações oficiais sobre o processo eleitoral da Secretaria Executiva de Educação (SEDUC), que diz que “O diretor e seus respectivos vice-diretores serão designados pela SEDUC, sendo os mesmos eleitos pela comunidade escolar, com a seguinte composição: I – todos os membros do Magistério em exercício na Escola Estadual; II – todos os funcionários em exercício na escola; III – todos os alunos maiores de doze anos regularmente matriculados e com frequência; IV – Pais ou responsáveis dos alunos.”  sejam respeitadas pelo Conselho Escolar, considerando que já houve a participação da comunidade escolar do SOME, nas eleições de 2009. Portanto, não cabe a justificativa escrita na ata que diz que “...a escola não tem estrutura em recursos humanos e financeiros para atender a essa necessidade.”